Videojogos, um novo campo de conhecimento em centros acadêmicos

Para surpresa de muitos, os videojogos, com milhões de usuários em todo o mundo, é mais rentável que a indústria de cinema, de teatro ou televisão.
Videojogos, um novo campo de conhecimento em centros acadêmicos

Lara Croft - Alison Carroll Uma das representações da personagem Lara Croft, em menção ao exitoso videojogo Tomb Raider. flexgraph via Compfight

Para surpresa de muitos, os videojogos, com milhões de usuários em todo o mundo, é mais rentável que a indústria de cinema, de teatro ou televisão.

Inclusive, já é considerado como um novo campo de conhecimento em diversas universidades norte-americanas e européias, com centros especializados e cursos de pós-graduação.

Em 2001, Espen Aarseth, professor associado de informática humanística na Universidade de Bergen, Noruega, criou o primeiro jornal acadêmico sobre jogos de computador, o Game Studies, para apresentar ao público os primeiros conceitos e trabalhos científicos desenvolvidos nesta área e que permitiu ampliar discussões sobre a necessidade  de desenvolver um campo específico para estudos de jogos em âmbito universitário, em que se poderia investigar com especificidade aspectos como jugabilidad, interactividad y narratividad, que integram qualquer videojogo.

Para Aarseth, os videojogos, combinam a estética e o social em uma forma de interação participativa que a  velha mídia de massa, tais como teatro, filmes, programas de TV e novelas, não podem proporcionar. E acrescenta: os jogos são objeto e processo. Não podem ser lidos como texto ou ouvidos como música, eles devem ser jogados. Jogar é integrar-se, e não coincide com o apreciativo de leitor ou de ouvinte. O envolvimento criativo é um ingrediente necessário na utilização de jogos. A natureza complexa das simulações é tal que um resultado não pode ser previsto previamente; Ele pode variar muito dependendo do jogador, de sua sorte, habilidade e criatividade.

Este novo campo de conhecimento busca adquirir auto-suficiência e autonomia como campo cultural consagrado e legitimado dentro da esfera acadêmica, já que em algumas universidades ainda é considerado como um sub-campo do estudo da cultura, geralmente relacionado a estudos comparativos com cinema e literatura.

Mas Aarseth já admitia em 2001 que os jogos também deveriam ser estudados dentro de campos e departamentos já existentes, tais como estudos de mídia, sociologia e inglês, porém os mesmos deveriam existir como uma estrutura acadêmica independente, o que atualmente já ocorre em alguns centros acadêmicos mais avançados.  

Videojogo de grande êxito no mercado: Tomb Raider Underworld (2008)

Tomb Raider Underworld ou Tomb Raider 8 foi lançado em novembro de 2008 em Estados Unidos e Inglaterra, posteriormente, em Espanha e outros países da União Européia.

O jogo tem como protagonista a personagem fictícia Lara Croft, uma arqueóloga británica financeiramente bem dotada, mas sem nenhuma pretensão para exercer um modelo refinado de alta burguesia inglesa. A personagem possui, ademais, um caráter aventureiro, desafiante e investigativo, além de um porte físico atlético bem delineado.

O objetivo principal do jogo é orientar Lara a encontrar artefatos e tesouros míticos espalhados por diferentes pontos do planeta, explorando ruínas e templos em países com grande riqueza arqueológica, como Egito, Grécia e Peru. Lara precisa buscar, principalmente, os três artefatos de Scion. Neste percursso a personagem deve encontrar e tomar posse de diversos tipos de armas. Para isso tem que destruir animais míticos e ferozes que surgem do nada, além de outras raras criaturas.

Para avançar progressivamente no jogo ainda é necessário solucionar uma série de questões e problemas do tipo adivinhança que surge a cada nivel.

A personagem pode realizar distintos movimentos corporais, como pular, andar, correr, girar e mergulhar, mas o jogador deve estar atento à quantidade de oxigênio que resta quando Lara está em água. O jogo está centrado, principalmente, na exploração, na realização de movimentos para defender-se de seres externos e na busca de elementos para vançar cada nível.

Este jogo é individual, onde um só jogador orienta a personagem Lara desde uma perspectiva de terceira pessoa. @JULIANA_SPAIN

Videojogos, um novo campo de conhecimento em centros acadêmicos
Comentarios