O romance “Orgulho e preconceito”, de Jane Austen, completa 200 anos

O romance Orgulho e preconceito, da escritora britânica Jane Austen, foi publicado pela primeira vez em 1813 e completa hoje 200 anos. Quatro anos após a publicação, Jane Austen falecia aos 41 anos.
O romance “Orgulho e preconceito”, de Jane Austen, completa 200 anos

Becoming Jane

Quatro anos após a publicação do romance, Jane Austen falecia aos 41 anos. drinks machine drinks machine via Compfight

O romance Orgulho e preconceito, da escritora britânica Jane Austen, foi publicado pela primeira vez em 1813 e completa hoje 200 anos, mas na verdade já havia sido finalizado em 1797, antes da autora completar 21 anos, quando a mesma vivia com os pais em Steventon, Hampshire (Inglaterra). Quatro anos após a publicação do romance, Jane Austen falecia aos 41 anos.

São raríssimos os casos em que uma obra atravessa tão largo tempo e continua a encantar leitores de todo o mundo, principalmente aos ingleses que neste dia 28 de janeiro de 2013 aclamaram diversos eventos comemorativos pelo aniversário de 200 anos de uma das mais belas obras universais, incluindo uma leitura coletiva do livro durante as 24 horas desta segunda-feira.

O enredo de Orgulho e preconceito gira em torno das peripécias vividas pela personagem principal Elizabeth Bennet, que aos 21 anos demonstra ser uma moça inteligente, atraente, alegre e sincera, mas que tem alguma tendência a julgar as pessoas pelas primeiras impressões e, às vezes, seleciona algumas dessas impressões como base para seu julgamento. Na realidade, tais sentimentos são gerados por observações e conflitos oriundos de suas percepções de mundo, originados pelas reflexões sobre sua origem social, de meio rural, e conflitos vivenciados pela personagem, como os relacionados à educação, cultura, moral e casamento, o que lhe resulta em um difícil e duro caminho para que possa compreender melhor as distintas relações humanas. O leitor, inclusive, observa os acontecimentos sob o ponto de vista dela.

A obra tem exercido grande fascínio sobre leitores modernos, apesar de este ser um romance do século XIX, e por isso mesmo continua na lista de best sellers, sendo considerado por muitos críticos literários como um dos melhores romances já escritos na história da literatura universal.

Acredita-se que cerca de 20 milhões de exemplares já foram vendidos e é muito provável que tal encanto por Orgulho e preconceito perdure também em razão das várias adaptações realizadas no meio cinematográfico, teatral, televisivo e literário acerca dos personagens ou temas abordados por Jane Austen, que permitem que a obra seja lembrada por seus admiradores e torna possível o surgimento de novos leitores.

Uma das adaptações cinematográficas de Pride and Prejudice (versão original em inglês), de 2005, foi dirigida por Joe Wright e estrelada por Keira Knightley, indicada ao Oscar por interpretação naquela ocasião, e Matthew Macfadyen.

O romance “Orgulho e preconceito”, de Jane Austen, completa 200 anos
Comentarios