Eurico Castro Alves, médico e palestrante convidado na Escola Secundária da Maia

Dr. EURICO CASTRO ALVES
Dr. Eurico Castro Alves. / Mundiario

Dr. Eurico Castro Alves deixou-nos a ideia de que, «com o nosso cérebro, a nossa vontade e a nossa força, podemos encontrar o nosso equilíbrio».

 

Eurico Castro Alves, médico e palestrante convidado na Escola Secundária da Maia

Na palestra subordinada ao tema “Alimentação”, a sessão foi aberta pelo Diretor da Escola Secundária da Maia, Dr. Rui Duarte, a quem coube fazer a apresentação do tema, destacando a importância que o mesmo desempenha nas nossas vidas e na sustentabilidade do nosso planeta. Eurico Castro Alves, médico e palestrante convidado, começou por elogiar o trabalho dos professores, a quem cabe um papel determinante para que, nas suas palavras: «o mundo avance e progrida»; aproveitando a ocasião para incentivar, fortemente os presentes, a ponderarem como nobre e socialmente valiosa, a profissão de professor.

O ponto de partida da sessão foi a pergunta, lançada para debate aos presentes, pelo: «o que é ter saúde?». A participação dos alunos foi espontânea e constante, ao longo de toda a palestra, o que a terá tornado particularmente estimulante para o orador e facilitado muito a interação entre uns e outro.

A afirmação «somos o que comemos», a recordar o aforismo de Brillat Savarin: «diz-me o que comes, dir-te-ei quem és», conduziu a intervenção para a grande importância que tem para a nossa saúde, a busca do equilíbrio na alimentação, para o qual importam, quer a frequência com que nos alimentamos, quer os alimentos que ingerimos, respetivas quantidades e diversidade. De seguida, a intervenção do médico desenvolveu-se a partir da ideia básica, de que a vida saudável consiste no equilíbrio entre a alimentação, os hábitos de comportamento e a atividade física. Realçou a importância de aprender a comer de forma saudável e de «educar os outros e levá-los a fazer o que está certo».

Depois de sensibilizados para as vantagens de prosseguir uma vida saudável, os alunos foram confrontados com alguns dos problemas relacionados com a obesidade – disfunção alimentar cada vez mais comum e mais grave -, tais como a diabetes, que tem vindo a aumentar em todo o mundo; as doenças respiratórias (apneia); a discriminação social e a depressão. Como mote, para estimular a mudança dos nossos hábitos alimentares, o Dr. Eurico Castro Alves deixou-nos a ideia de que, «com o nosso cérebro, a nossa vontade e a nossa força, podemos encontrar o nosso equilíbrio».

De modo assertivo, o médico reiterou a expressão «diz-me o que comes, dir-te-ei a saúde que tens», recordando-nos o trecho de Notas Contemporâneas, de Eça de Queirós: «Diz-me o que comes, dir-te-ei quem és. O carácter de uma raça pode ser deduzido simplesmente do seu método de assar a carne. Um lombo de vaca preparado em Portugal, em França, ou Inglaterra, faz compreender talvez melhor as diferenças intelectuais destes três povos, do que o estudo das suas literaturas.”

Para satisfação de todos, fomos presenteados com sugestões de cardápios saudáveis, seguindo a regra do «1, 2, 3», nos termos da qual o número 1 corresponde à alimentação, o número 2 aos hábitos e comportamentos e o número 3 à atividade física. Rendidos à eloquência do orador, na transmissão da mensagem, e à facilidade em interagir com o público, terminámos a palestra, lendo em voz alta a seguinte citação: «A alimentação faz-nos pequenos ou grandes, imbecis ou inteligentes, frágeis ou fortes, apáticos ou intervenientes, insociáveis ou capazes de saudável convivência; mata-nos cedo, ainda em embrião no ventre materno, ou tarde, no ocaso de uma vida plena».

Eurico Castro Alves, médico e palestrante convidado na Escola Secundária da Maia
Comentarios