Buscar

MUNDIARIO

Debater a lusofonia, segundo a perspetiva de um político e de uma professora

A temática abordada despoletou, não só, um debate vivo, como também, a necessidade de organizar, de novo, um momento de reflexão sobre a lusofonia. Crônica e artigo en MUNDIARIO.

Debater a lusofonia, segundo a perspetiva de um político e de uma professora
A lusofonia, a debate. / Mundiario
A lusofonia, a debate. / Mundiario

A temática abordada despoletou, não só, um debate vivo, como também, a necessidade de organizar, de novo, um momento de reflexão sobre a lusofonia. Crônica e artigo en MUNDIARIO.

Integrado na semana do Agrupamento de Escolas António Sérgio, em Vila Nova de Gaia (Portugal), aconteceu um debate subordinado ao tema Lusofonia. Participaram, no debate, o distinto deputado José Ribeiro e Castro e uma consagrada professora universitária, Maria João Reynaud.

Segundo a visão do político, a língua portuguesa é o nosso maior capital, e o espaço mundial que define e «confor...ma». conforma.

Para a professora Maria João Reynaud, a língua é a nossa alma, o traço de união vivo entre os povos que a falam.

A temática abordada despoletou, não só, um debate vivo, como também, a necessidade de organizar, de novo, um momento de reflexão sobre a lusofonia.

Língua portuguesa, um capital do presente e do futuro

Por José Ribeiro e Castro*

A lusofonia, o espaço dos países que falam português, é um capital de enorme futuro não só para Portugal, mas para todos os seus membros e para o mundo.

A língua portuguesa está presente em todos os continentes como língua oficial e como língua materna – em ambos os casos, é a única língua em que isto acontece, além da língua inglesa. Esse é um dos enormes potenciais da lusofonia, hoje organizada no quadro da CPLP. 

Os países que compõem a CPLP, Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, são actualmente nove: Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e, desde há alguns meses, Guiné Equatorial. Representam 3,7% da população mundial e 4% da sua riqueza. Com cerca de 11 milhões de km2 de superfície, ocupam 7, 25% da superfície continental da Terra e todos dispõem, ainda, de extensas plataformas marítimas. 

O português, falado actualmente por mais de 250 milhões de pessoas, é a terceira língua europeia global, isto é, de entre as línguas europeias é a terceira mais falada no mundo – as outras duas são o inglês e o espanhol. É também a terceira língua do Ocidente, a terceira das Américas e a quarta em África. Prevê-se que o número de falantes de Português no mundo seja de 300 milhões, em 2050, e de 400 milhões, no final do século. 

Como gosto de dizer e de sublinhar, é “o Português, língua da Europa”, “o Português, língua de África”, “o Português, língua das Américas”, “o Português, língua do Oriente”, “o Português, língua do Mundo”. Segundo um estudo recente do Instituto Camões, a língua portuguesa é também já a quarta língua mais falada no mundo. É a língua mais falada no Hemisfério Sul, e todos temos uma ideia da importância que o Hemisfério Sul e o progresso económico Sul-Sul estão a assumir crescentemente no século XXI.

A língua portuguesa é, já hoje, uma importante língua internacional de cultura, de comunicação, da política, da economia e dos negócios, do desporto e, de modo mais tímido, também da ciência e da tecnologia. Está presente na importante economia do petróleo e do gás, onde importa reforçar o seu capital linguístico. Uma língua comum não é apenas comunicação; é também conhecimento profundo, conhecimento íntimo, cumplicidade, interacção. E temos de proteger e afirmar o português cada vez mais como língua de ciência, de técnica e de tecnologia.

A língua portuguesa regista uma das taxas de crescimento mais elevadas, na Internet, nas redes sociais e na aprendizagem como língua estrangeira. É a primeira língua estrangeira a ser aprendida no sistema de ensino de diversos países, a quinta língua mais usada na internet, a terceira mais usada no Facebook. Tudo exemplos impressivos do crescimento e do potencial da lusofonia.

Não haja dúvidas sobre isto: o Português é uma das grandes línguas da globalização, poderosa língua de intercomunicação universal, e a lusofonia um espaço fundamental, multipolar e global, do mundo contemporâneo. Assim estejamos todos à altura dessa oportunidade e desse desafio.

--

*José Ribeiro e Castro, deputado.